Profile Main Image

Silas Oliveira

O caminho para o Abismo Sombrio no LEGACY UAI, por Tulio Reis

Report Legacy UAI 2019 – Túlio Reis - Slow Depths – 6º Lugar.

*Report Legacy UAI 2019: Túlio Reis – Slow Depths – 6º Lugar.* Quem pensou que o conteúdo sobre o LEGACY UAI tinha acabado, se enganou! Ainda sobre o torneio, Tulio Reis, de BH, nos contou como foi sua participação no torneio, bem como a escolha do deck, e as adaptações da lista. Abaixo segue o relato do nosso amigo: "Olá pessoas do meu coração amado. No último dia 06/07, aconteceu em Pouso Alegre/MG, cidade do sul de Minas Gerais, o Legacy UAI 2019. Torneio muito bem organizado pelo nosso amigo Bruno Volpato. Eu, na minha essência, sou jogador de Modern e gosto de jogar as etapas da Liga Mineira de Legacy, pois, como bom grinder que sou, não dispenso um torneio competitivo e com premiação boa. Apesar de não possuir um deck Legacy, sou adepto do bom e velho ditado – “Quem tem amigos, tem cartas”. E, por sorte, tenho amigos, em especial o grande Henrique Belumat, campeão do Nacional Legacy 2017. Na semana que antecedia o evento, procurei o Belu para me emprestar um deck que tenho obtido um bom ratio de vitórias nas etapas da LML, o famigerado, Slow Depths. Pra quem não está familiarizado com o deck, aqui vai uma breve explicação. O Slow Depths, é um baralho de combo, baseado no terreno de neve lendário [card](Dark Depths), onde através de [card](Thespian's Stage) ou [card](Vampire Hexmage), “trapaceamos” no que diz respeito ao que a carta foi feita pra fazer justamente, seja copiando um Dark Depths em jogo ou removendo os marcadores, todos de uma só vez. Assim que Dark Depths se encontra em jogo sem nenhum marcador um ficha de criatura preta, chamada Marit Lage, é criada. A criança tem 20/20 de poder e resistência é indestruitível e tem voar. Ou seja, um abraço pro oponente. [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565544737.jpg) Agora, diferentemente do TURBO Depths, esse deck não possui tantas maneiras de fazer o combo a qualquer custo. Esse deck é muito mais Midrange, grindador e resiliente do que a versão all-in, que é super centrada no combo supracitado e que não consegue ganhar de outra maneira senão fazendo o Token o mais rápido possível. A lista que joguei no torneio foi essa: [deck](12764) Bom, quando eu pensava na lista para pedir o deck eu levei em consideração alguns fatores: Esse deck tem dificultade de lidar com Wrenn and Six e Delver decks em geral. Primeiro por serem super agressivos, possuírem 4 cópias de Wasteland e combinação de Force of Will + Daze complica muito a vida desse deck. Death and Taxes é um pesadelo. Então cheguei a belíssima conclusão de que Bitterblossom e Liliana, The Last Hope seriam adições ao Main Deck que pegariam muitos desses decks com as calças arriadas. Delvers tem uma dificuldade enorme de ganhar de Bitterblossom turno 2 e esse deck consegue fazer ela no UM, cara! Como se não bastasse, Liliana é brutal contra D&T e ajuda bastante contra Delver. Foi um “meta call” que pagou dividendos. Partidas: *Rodada 1 – Miracles* Jogos muito truncados como sempre, porém tanto no G1 como no G2 meu oponente não conseguiu encaixar cantrips de maneira efetiva a fim de esculpir uma mão resiliente aos descartes do deck e acabou perdendo para o combo. 2-0. Record: 1-0 *Rodada 2 – UR Delver* G1: Eu combo muito rápido sem deixar o oponente fazer a Wasteland. Normalmente UR Delver não possui resposta no main deck para o Token. G2: Meu oponente tenta dar Wasteland no meu Thespian Stage. Eu copio a sua Ilha em resposta que faz a Wasteland pifar. Volto combando e tomo um Vapor Snag. #sad. 1-1. G3: Descartes e um combo rápido deram conta do recado. Record: 2-0 *Rodada 3 – UR Delver (Phelippe do RJ, fez Top8)* G1: Turno 1, na play. Faço land, Mox Diamond, Bitterblossom que resolve. O jogo se desenvolve de maneira que ele encontra um Young Pyromancer, faz algumas fichas. Eu acho remoção pro Dreadhorde Arcanist e encaixo a Liliana, the Last Hope para selar o jogo. METACALL! G2: Ele muliga, eu dou descarte, tiro a sua Force of Will. Volto combando. Ele cantripa atrás de Vapor Snag e morre para o Token. Record: 3-0. *Rodada 4 – RUG Delver (Diego Ganev, Campeão)* Esse jogo foi bizarro e foi transmitido na [link](www.twitch.tv/legacydosmoicanos)(Twitch do Legacy dos Moicanos). G1: Muligamos a 5, eu mantenho mão de 1 land, ele flipa dois Delvers rapidamente, eu nunca mais compro land e perco em 2min. G2: Eu perco bastante vida nos turnos iniciais, estabilizo o board, dou Assassin’s Trophy na Volcanic, Wasteland na Tropical. Deixo ele sem cartas na mão e sem land nenhuma na mesa. Não paro de comprar lands inúteis e remoções. Até que finalmente sou punido por uma jogada besta e morro para 2 Lightning Bolts depois de milhares de turnos em que meu oponente nada fez. Record: 3-1. *Rodada 5 – UR Delver (Bruno Lorenzato, amigão de Ouro Preto e Top8)* G1: Ele perde pelo simples fato de estar na draw. Toma descartes nas criaturas, fica com várias dazes e fow’s na mão e toma o combo. Ele ainda tenta achar a resposta mas sem sucesso (ele rodou 2 Vapor Snag no Main Deck). G2: Ele está praticamente morto, com 6 de vida e eu com Bob e Vampire Hexmage na mesa, tenho 3 de vida. 2 Cartas de custo 3 no deck (que eu nem lembrava que existam haha), Trigger do Bob resolve revelando Tireless Tracker. GG G3: Fui absolutamente moído por 2 Swiftspear, Chain Lightnings e Bolts. Record: 3-2 *Rodada 6 – Burn (Thiago Pimenel, amigão de Ouro Preto)* Esse match é muito fácil para o Turbo Depths. A versão Slow Depths pode ter um pouco mais de dificuldade justamente por não conseguir fazer o combo tão rapidamente como a versão Turbo. G1: Estou na play. Faço Urborg, Tumba de Yawgmoth, descarto um Raio. Turno 2, desço minha Depths, faço Vampire Hexmage e venço. Que sorte! G2: Na draw, faço Urborg, Tumba de Yawgmoth, dou Duress. Descarto Ensnaring Bridge. Turno 2, desço minha Depths, faço Vampire Hexmage e venço. É muita sorte pra um cara só... Brincadeira. Record: 4-2. *Rodada 7 – Rakdos Goblins (Guilherme Figueira)* Esse jogo foi transmitido na [link](www.twitch.tv/legacydosmoicanos)(Twitch do Legacy dos Moicanos). G1: Eu muligo a 6. Meu oponente começa fazendo Montanha, Aether Vial. Eu faço, Bayou, Mox Diamond, Abrupt Decay no Vial. Turno 2 meu oponente faz Pantano, Mogg War Marshal. Eu procedo, fazendo Thoughtseize que revela 2 Goblins irrelevantes e 2 Prismatic Vista. Eu faço Dark Depths e passo. Ele paga o Echo do War Marshal, faz Vista e ataca. Meu turno 3, eu faço Thespian’s Stage, copio a Dark Depths e passo com a Token 20/20. Agora ele não tem mais respostas e morre no ataque. G2: Ele faz Mana Goblin Lackey. Eu muliguei a 6, rezo pra comprar resposta pro Lackey. Compro uma Mox Diamond que me permite descer um Dark Confidant pra trocar com o Lackey. Eu faço Wasteland, Mox, Bob. Meu oponente, faz Pantano, Munitions Expert e mata o Bob. Bate com Lackey e não põe nada na mesa. Turno 2, eu faço, Crop Rotation sacrificando a Wasteland para tutorar uma Urborg, Tumba de Yawgmoth, faço Dark Depths como land do Turno e combo de Vampire Hexmage. Acho que meu oponente não esperava essa jogada. Salvo engano, ele tinha uma Wasteland na mão e preferiu por matar o bob. Se eu não vi errado no vídeo, foi uma infelicidade cruel. 20/20 na mesa unica saída seria encaixar uma espécie de Édito Diabólico vindo do Sideboard, afinal era Preto e Vermelho ou a saída tradicional para uma situação como essas fazendo o Stingscourger. Não foi dessa vez. GG Oponente. Record: 5-2. 6° lugar. Bom, foi um torneio bacana de se participar. O resultado rendeu R$300,00 em dinheiro e muito contente de ter lido o field da maneira que li. As mudanças fizeram bastante diferença e me deram vitórias que talvez não tivesse conseguido com uma lista mais padronizada. Manhã de muito frio em Pouso Alegre/MG, termômetros marcando 3 Graus Celsius! Pegamos o carro e voltamos para BH. Gostaria de agradecer aqueles que leram até aqui. Sempre um prazer escrever reports de torneios bem estruturados que nos motivam a jogar esse jogo maravilhoso que é o tal do Magic: The Gathering! Forte abraço! Tulião." [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565543020.jpg) Primeiramente, parabéns pelo resultado Tulio, jogou demais. Em segundo, obrigado por compartilhar sua experiência. E por fim, gostaria de chamar atenção ao fato de o Tulio ser jogador nato de outro formato, e mesmo assim ter se saído tão também em um torneio Legacy, em especial, num campeonato cheio de jogadores experientes e de alto nível. Porém, isso já não é novidade, uma vez que ele vem fazendo ótimos resultados na Liga Mineira de Legacy. O que eu de fato gostaria de mencionar é que mesmo sendo adepto de um formato em especial, como o Modern por exemplo, é possível conciliar os dois, e se sair bem em um e outro. Inclusive, transitar entre ambos de maneira harmônica, pois diversas vezes ouvi que quem joga Modern não joga Legacy, e vice-versa. Além disso, ressalto o fato que mesmo sem ter um deck, não foi por falta de vontade que ele deixou de participar do torneio. Diante disso, mais uma vez eu repito que se você tem vontade de jogar Legacy, isso não será um entrave. Nós da comunidade Legacy, estamos sempre abertos e dispostos a receber e ajudar novos jogadores. Até a próxima.

Compartilhe:

Profile Main Image

Silas Oliveira

Idealizador do Legacy UAI

Social: Facebook

Profile Main Image

Diogo Leal

Entrevistamos Thoralf Severin, vencedor do Campeonato Mítico IV


Entrevistamos Thoralf Severin, vencedor do último Campeonato Mítico! [link](https://cardsrealm.com/artigos/thoralf-severin-de-tron-ganha-campeonato-mitico-iv)(Venceu o Campeonato Mítico IV dia 28 de julho) com seu deck Tron tradicional. Segue a lista abaixo e logo depois as respostas dele para nossas perguntas, traduzidas por terem sido em inglês. [deck](11987) *Quando você começou em Magic: The Gathering e como foi entrar na cena competitiva?* Comecei a jogar Magic em torno de Nemesis com amigos da minha escola. Eles largaram rapidamente, mas eu me esforcei para jogar mais e mais. Lembro-me de jogar um GP construído Odyssey na Alemanha. A Alemanha no total foi muito competitiva em Magic, mas Berlin não, por isso não joguei muitos torneios por um longo tempo. *Hoje você é um jogador que vive exclusivamente de Magic?* Definitivamente não. Viver dos torneios de Magic é extremamente difícil e só pode ser feito com muita criação de conteúdo - algo que eu não consegui fazer. *Qual é o seu formato favorito e por quê?* Limitado, especificamente Caos Draft. Eu não sou um fã de jogar o mesmo deck por muitas horas, então eu gosto da diversidade do limitado. *Como foi sua jornada para o MC IV?* Eu estava um pouco fora do circuito do Magic competitivo, mas quando Arne Huschenbeth se mudou para Berlim, ele, Jasper Grimmer e eu formamos um time que viajou para todos os GPs da Europa. Especialmente no GP da equipe, fomos extremamente bem-sucedidos, o que me levou a acertar exatamente o ouro até o Barcelona. *Desde a impressão de [card](Karn, o grande criador), a maioria dos jogadores de Tron tem adaptado suas listas para incluir a carta. Você optou, no entanto, por uma lista mais próxima do arquétipo tradicional. Qual o motivo dessa escolha?* Comecei com o pequeno Karn e fiquei muito desapontado. Karn raramente ganhava na hora e era muito difícil manter-se vivo. Não há criaturas para defender e nenhum artefato para obter, que ajudam no momento que ele entra. Bridge geralmente era ruim, por causa de cartas demais na mão. Quando [card](Hogaak, Arisen Necropolis) se tornou tão popular, nós realmente queríamos a [card](Leyline of the void) em nosso sideboard e isso também não era possível com todos esses artefatos para Karn. O ponto era que queríamos ter mais espaço para todos os 4 [card](Wurmcoil Engine) e 3 [card](Walking Ballista). Joguei 2 ligas com a lista do MC4 e fui 10-0. Foi ótimo. [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565462372.jpg) *Outra opção interessante da sua lista é a inclusão da quinta floresta no lugar do [card](Ghost Quarter). Você manteria essa escolha para o futuro?* Quase não houve confrontos onde o Ghost Quarter era mais necessário. Além disso, havia muitos combates em que queríamos muitos terrenos básicos, especificamente contra [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/UW%20Control)(Controle UW) e o [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Eldrazi%20Tron)(Eldrazi tron) ​​(com o Crucible). Você precisa de algumas fontes verdes e a adição da carta [card](Zona de Explosão) (que é mandatória!) significa um espaço a menos. No final, senti que eu não iria jogar tanto contra decks que o Ghost Quarter brilha como o Tron e ou decks com [card](Inkmoth Nexus), já que eles pareciam ser menos jogados. Apesar disso, minha equipe ainda jogava com Ghost Quarter. *Então você preferiu remover da lista para dar preferência para melhores match ups, mas resolveu desistir de partidas com Inkmoth do outro lado. Isso é algo que vem sendo discutido bastante e já tivemos [link](https://www.channelfireball.com/articles/a-deck-with-extreme-matchups-is-statistically-better-than-one-with-even-matchups/)(artigos da Channel Fireball falando que é melhor termos um deck preparado para ganhar de alguns matchs e perder de outros, do que ter um que sempre fica no 50%). O que você acha dessa afirmação? Nesse campeonato mítico você chegou a ver inkmonth do outro lado?* Concordo com esta afirmação, montei o deck com o fato de que eu realmente não esperava que houvesse muitos decks com Inkmoth. você está correto, eu fui mais fraco contra esses para obter alguma vantagem em outro lugar. Eu joguei contra [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Hardened%20Scales)(Hardened Scales) no suíço e depois nas finais (contra a mesma pessoa). No final eu não joguei contra UW ou Eldrazi tron, então minha 5ª floresta não era obviamente melhor. Eu acho que no final, se você realmente não tem idéia do que as pessoas jogam, jogar com o Ghost Quarter provavelmente é uma boa ideia, especialmente se as pessoas não estão mudando facilmente para um deck diferente. *Normalmente Tron tem um núcleo de cartas que não podem ser mudadas. Efeitos de tutores (como mapa de expedição) ou cantrips por exemplo. Você, no entanto, ousou remover 1 [card](Esfera Cromática) da lista, fazendo alguns jogadores de Tron enlouquecerem. É possível fazer isso sem medo de ficar sem mana verde?* Eu estava dizendo isso para minha equipe desde Londres. A nova regra de mulligan permite que você faça isso. Eu joguei muitos jogos com o Tron ​​e a forma como você está ativamente mulligando para completar o Tron ​​permite que você não precise dessas porcentagens minúsculas a mais de verde com uma Esfera Cromática. Antes disso, você precisava manter a maioria das mãos, porque você simplesmente não poderia mulligar para uma mão melhor. Portanto, precisava de muita compra de carta para fazer essas mãos funcionarem. Agora, basicamente mulligando todas as mãos que não fazem Tron de forma rápida, você precisa de no máximo exatamente 1 desses cicladores. Eles não são ruins no Late Game por que te fazem comprar mais uma carta, mas eu queria mais um Payoff grande. Essa mudança também se encaixa bem com a 5ª floresta. *Como você geralmente avalia a posição do Tron no atual meta do Modern?* Definitivamente um bom deck, especialmente quando as pessoas não estão preparadas. Se ninguém joga [card](Damping Sphere) ou menos [card](Fulminator Mage), menos [card](Surgical Extraction), menos [card](Stony Silence), etc. a estabilidade do deck te leva a ganhar os jogos. Além disso, os seus confrontos contra [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Izzet%20Phoenix)(UR Phoenix), [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Jund%20Assault%20Loam)(Jund), Eldrazi Tron e Urza são muito bons. Agora mesmo, estamos à frente contra o [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Four%20Colors%20Hogaak%20Vine)(Hogaak), mas acho que não estamos com muito mais de 50%. *Você defende o banimento de Hogaak? Se isso acontecer, o que deve mudar no Metagame?* Eu acho que pode ser derrotado, mas os custos da diversidade são muito altos. Eu, pessoalmente, preferiria excluir algumas cartas, de modo que mais baralhos (e estratégias inteiras) possam ser jogados, do que ter o metagame de jogar um deck ou um deck que vença aquele baralho. Infelizmente isso faria tron ​​um pouco pior na minha opinião, já que muito de seus piores combates (como burn, scapeshift ou storm) estão sendo forçados a sair e eles certamente retornariam. Também as pessoas teriam mais slots de sideboard. Modern tem um enorme potencial para ser um formato incrível, com muitos decks e interações diferentes. *Muito obrigado Thoralf Severin pela entrevista! Foi muito esclarecedor!*

Compartilhe:

Profile Main Image

Leon Diniz

Vencedor do MKM Series 2019 é desqualificado por trapaça


Houve uma desqualificação após a final do evento principal do Legacy no Cardmarket Series Frankfurt, o MKM Series 2019. [link](http://series.magiccardmarket.eu/2019/08/04/statement-on-disqualification/)(Os juízes-chefes Michael Wiese e Klaus Lassacher fizeram a seguinte declaração): “Durante a final do evento principal do Legacy, o chat do Twitch chamou nossa atenção para um comportamento suspeito. Após extensa revisão da gravação, foi decidido desqualificar Sebastian Wibmer por trapaça - manipulação de material de jogo. ” <iframe src="https://clips.twitch.tv/embed?clip=HungryNastyReubenChocolateRain" height="300" width="100%"> </iframe> Repararam que o jogador Sebastian Wibmer jogou 2 terrenos no mesmo turno? Primeiramente ele baixa o terreno da vez e logo depois já joga uma [card](Wasteland) ativando a habilidade dela para destruir o terreno do oponente. O oponente Raphael Werder não parece notar e segue o jogo normalmente. <iframe src="https://clips.twitch.tv/embed?clip=CogentCharmingTardigradeKeepo" height="300" width="100%"> </iframe> Agora vemos Wibmer fazendo um [card](Brainstorm), onde ele compra ao menos 1 [card](True-Name Nemesis) e um [card](Grafdigger's Cage). Ele escolhe manter o Grafdigger's Cage na mão e deixa o True-name Nemesis no topo, até o momento, tudo está conforme. <iframe src="https://clips.twitch.tv/embed?clip=AltruisticAnnoyingGuanacoSoonerLater" height="300" width="100%"> </iframe> Até o momento que Wibmer é obrigado a estourar a fetchland na mesa para counterar uma carta do Raphael Werder. Ele aproveita a situação e embaralha o deck, mas aparentemente o True-name Nemesis não sai do topo do seu baralho. O chat no Twitch achou estranhou, mas nada impossível, até repararem na forma de embaralhar do Wibmer e ela se repetir em outras partidas. Essas duas situações mostradas até o momento não fizeram parte da final, mas Sebastian Wibmer foi desqualificado por roubar na final. <iframe src="https://clips.twitch.tv/embed?clip=BashfulOpenKiwiAllenHuhu" height="300" width="100%"> </iframe> Conseguiram enxergar a trapaça dele nesse vídeo? Ele ao ativar a habilidade da fetchland, procura pelo terreno em seu grimório, mas enquanto procura, separa duas cartas e as põem no topo. Muito rápido, tem que ser revisto diversas vezes para ser notado. O canal Desolator Magic explica essa trapaça em câmera lenta, dê uma olhadinha. [youtube](https://www.youtube.com/watch?v=UiHws8-wsnU&feature=youtu.be)

Compartilhe:

Profile Main Image

Leon Diniz

Programador do site da Cards Realm. O Magic vai muito além das cartas. Somos pessoas, uma comunidade enorme.

Social: YoutubeInstagramTwitter