Profile Main Image

Leonardo Giucci

Abzan Traverse e o GP 2018

Fala pessoal, aqui é o Leonardo gostaria de lhes falar um pouco sobre o Abzan Traverse, deck que levei ao segundo lugar do GP 2018.

Fala pessoal, aqui é o Leonardo gostaria de lhes falar um pouco sobre o Abzan Traverse, deck que levei ao segundo lugar do [link](https://magic.wizards.com/en/events/coverage/gpsao18)(GP SP 2018). Comecei com um baralho budget do MTGgoldfish que usava Siege Rhinos e Restauration Angels, pois queria finalmente ter um baralho pra jogar Modern, mas bom, Modern é caro né hehe Como o baralho apanhava infalivelmente dos combos e big mana eu tive que ir pedindo cartas boas emprestadas (Goyfs etc) para ter alguma chance nesses matchups. No fim das contas virou um [link](https://magic.wizards.com/en/events/coverage/gpsao18/tournament-results)(baralho totalmente diferente) e quase idêntico a um baralho que o Willy Edel tinha feito em 2017. No momento essa é minha lista atual: [deck](3988) O Traverse é um midrange agressivo, parecido com um Abzan tradicional mas com algumas diferenças importantes. Como todo midrange BGx, são baralhos equilibrados que podem assumir tanto o papel de control quanto o de aggro dependendo da situação. No caso do traverse temos as seguintes características/diferenças: *4 Tarmogoyfs e 4 Grim flayers*: Isso nos torna mais agressivos que um BGx tradicional que geralmente só conta com 4 criaturas (goyfs) para pressionar o oponente no começo do jogo. É certo que um Dark confidant também precisa ser resolvido, mas ele não pressiona a vida do oponente do mesmo modo. Essa característica creio que deixa o baralho melhor posicionado contra baralhos combo e big mana, já que o importante nesses matchups é pressionar os pontos de vida ao mesmo tempo que você desestabiliza o plano de jogo do oponente. Grim Flayer também é muitíssimo melhor que um Confidant contra baralhos aggros, essa é outra vantagem da carta. *4 mishra’s bauble*: Uma carta indispensável para o arquétipo, te permite alcançar delírio com muito mais facilidade, é um scry grátis que pode ser utilizado em combinação com uma fetch para tirar uma carta inútil do topo do baralho, cresce seu goyf (isso é surpreendentemente relevante) e além de tudo ainda diminui o número de lands que você precisa rodar, uma vez que você estaria efetivamente jogando com menos cards no baralho. *3 traverse the ulwenwald*: É um engano pensar que essa é a carta/mecânica chave do baralho. O deck funciona como um midrange mais agressivo, mas que usa um componente de cemitério para ter mais poder e alternativas. A carta traverse the ulwenwald é mais um suplemento que qualquer coisa. Ela nos permite: rodar menos lands (podemos sempre buscar uma land básica sem delírio), ter acesso a mais ameaças no late game quando lands extras seriam inúteis; tutorar por criaturas específicas para a situação, isso é especialmente útil pós side quando podemos escolher criaturas que destruam arquétipos específicos. Apesar de o cemitério não ser fundamental para o baralho, ele é bastante importante, um grave hate no estilo Rest in Peace, que permanentemente exila tudo precisa quase sempre ser resolvido. Essa é uma das fraquezas do arquétipo em relação a um BGx tradicional (que, no entanto, já sofrem com cartas tipo Rest in Peace, embora menos) Quase todos nossos matchups são equilibrados, esse baralho praticamente não tem matchup ganho, mas também raramente tem um bad match. Matchups onde levamos boa vantagem: - Storm - Ad nauseam - Hollow one - UR Phoenix - Infect - Elves Matchups equilibrados no geral (embora prefira o traverse contra a maioria): - Humans - Burn - Spirits - Tron (vantagem para o Tron, mas realmente não é tao ruim assim) - Valakut (pequena vantagem para o Valakut) - Dredge - Jeskai Control - Mardu Pyromancer - Lantern - BG - Eldrazi tron (um pouco desfavorável) Matchups desfavoráveis ou ruins (todos são bastante ganháveis, mas desfavoráveis em níveis diferentes): - Living end tradicional (g1 praticamente impossível, pós sb melhora muito mas dependemos das cartas do sb) - Jund (não é péssimo, mas eles tem muito mais grind e late que game que nós) - UW control (matchup bem complicado, você é altamente dependente de uma Liliana entrar cedo já que ele costuma ter removals pra todas suas criaturas, possivelmente nosso pior matchup) Vamos a algumas escolhas de carta: *Maindeck*: A manabase do meu baralho do GP é horrível, não usem ela. Você realmente não pode se dar ao luxo de usar mais de uma land que não gere preto ou verde, cortei a planície e o ghost quarter do md pois nenhum dos dois ajuda a castar algumas spells importantes. *1 Siege Rhino* Apenas: No GP São Paulo usei 2, estávamos no auge do Hollow One e Siege Rhino é ótimo nesse matchup, 2 atualmente não são realmente necessários. *1 Nihil Spellbomb* md: Carta excelente que acaba com alguns baralhos e se cicla, facilitando também alcançar delirium. Outra opção nesse slot é Anafenza, the Foremost, que tem outras propriedades mas também é excelente contra baralhos de cemitério. Não sei qual é melhor MD. *2 trophy e 1 abrupt decay*: Nós já rodamos 2 path to exile, que cumpre melhor o papel de trophy em vários momentos. Ter muitos removals que são ruins no early game pode ser um grande problema, prefiro deixar 1 abrupt decay e apenas 2 trophys por esse motivo. Sideboard: *1 Gaddock teeg*: Excelente carta, pode ser tutorada com traverse, entra contra matches difíceis como Tron, UW Control, e até baralhos com Collected Company, entre outros que não lembro agora. Poder ter acesso a “4” gaddocks é uma grande vantagem. *1 Eidolon of rhetoric*: esse slot pode ser substituído por Kambal, consul sl o que, embora eu prefira o Eidolon pelos seguintes motivos; não morre pra bolt, tornando-o melhor nos matchups que ele geralmente entra (Storm, Phoenix etc). Inviabiliza o Living End ou qualquer outro deck de cascade, que podem ser matchups bem complicados; funciona também contra baralhos tipo Elves etc, que utilizam várias spells de criatura no mesmo turno. A fraqueza dele é o fato de ser uma criatura-encantamento, o que o torna suscetível a mais hate (embora ter um encantamento no grave ajude a obter delírio/crescer o goyf), e o fato de ser inútil contra control e burn, 2 matchups onde kambal é excelente. *1 Shriekmaw*: Um removal tutorável que ajuda a gerar delírio caso você ainda não tenha, e que serve como uma threat com evasão no late game. Não é uma carta muito boa em si, mas funciona muito bem no arquétipo, gosto de tê-la no side. É especialmente boa contra humans e burn, por escapar do tax da Thalia e dos 2 de dano do eidolon (também não toma spell queller). Outra opção é usar 1 Walking ballista no lugar ou mesmo maindeck, é um carta que tem seus méritos nessa versão e cumpre boa parte do papel do shriekmaw. *1 Damping sphere*: staple de sb de modern, deveria estar em quase qualquer lista; *1 Collective Brutallity*: Concessão ao fato de burn estar crescendo; *1 Knight of Autumn*: Ótimo contra burn, útil contra muitas coisas, carta versátil, não é necessária mas eu ainda acho positiva. *1 Gonti, lord of luxury*: Minha concessão ao fato de Eldrazi Tron e Jund serem matchups difíceis. Podem haver cartas melhores aqui, mas Gonti é definitivamente bom para esse nicho. *1 Damnation ou Languish*: Damnation é mais confiável, mas Languish é melhor contra Selfless Spirit, além de te permitir manter Goyfs vivos. No GP usei 2 Damnation (acho que 1 basta, são poucos os matchups onde você realmente quer dois), ainda não sei se é melhor que Languish. *1 Kataki, Wars Wage*: com a queda do KCI ele perde um pouco seu valor, mas ainda é incrível contra Affinity, não tiraria do side embora muitas listas o façam já que Affinity já é um matchup favorável e para o qual voce já tem várias cartas adequadas. Stony silence é uma opção pois também dificulta a vida do Tron, mas não é tutorável com traverse (grande diferença) e também inviabiliza suas Mishra’s Bauble, prefiro não rodar nenhum por esse motivo. *2 Fulminator Mage*: Contra Tron, Control, Valakut, Affinity, alguns midrange etc… *2 Surgical Extraction*: O melhor grave hate contra Phoenix e Dredge, dois dos baralhos mais usados no formato atual. Útil também contra alguns combos. *1 Nihil Spellbomb*: Grave hate melhor contra baralhos que dependem mais de quantidade de cartas no grave do que de cartas específicas (Hollow one, Mardu pyromancer etc). *1 Ghost Quarter*: Pode ser MD (no lugar de um blooming marsh), ou pode ser cortada para dar lugar a outra coisa. Entra contra Affinity e alguns outros baralhos mas está aí basicamente contra Tron por ser tutorável com o Traverse (Traverse com delirium pode buscar land não básica, ganhei minha semifinal no GP desse modo então fica difícil cortar heh). *Outras cartas a se considerar*: Remorseful Cleric, Kalitas, traitor of Ghet, Engineered Explosives, Choke etc Por fim, acho importante ressaltar que esse não é um baralho nada fácil de jogar, baralhos BGx já não são baralhos simples, uma vez que as vantagens que conseguimos jogando com esse arquétipo geralmente são muito pequenas e incrementais, some-se a isso o fato de que você está rodando 4 baubles (mais triggers e decisões), 4 grim flayers (idem), ao mesmo tempo em que tem que manter conta dos tipos de carta no grave e direcionar seu plano de jogo para atingir delírio e poder tutorar por criaturas específicas para cada situação; o resultado é que torna-se um baralho bem complicado de se jogar. Não escrevo isso para desmotivar, se você gosta de baralhos BGx é uma ótima opção (assim como Jund e BG que melhoraram muito agora com trophy), além de ter um gameplay muito interessante por si só, mas eu realmente recomendo que você pratique bem com esse baralho se tiver a intenção de ter bons resultados. É isso pessoal, se houver interesse posso fazer um guia de sideboard para os matches mais comuns em outro artigo. Abs!

Compartilhe:

User profile image
Profile Main Image

Leon Diniz

Addendum ao novo mulligan


O novo mulligan nem chegou e já está causando mudanças e estranheza na interpretação de cartas. Blake Rasmussen teve que fazer um addendum ao comunicado oficial sobre mulligan devido a certas perguntas que jogadores tem feito e já disponibilizou a regra oficial nos testes. Segue a regra oficial traduzida durante testes: 103,4. Cada jogador compra um número de cartas igual ao tamanho da mão inicial, que normalmente é sete. (Alguns efeitos podem modificar o tamanho da mão inicial de um jogador.) Um jogador que está insatisfeito com sua mão inicial pode receber um mulligan. Primeiro, o jogador inicial declara se vai ou não fazer um mulligan. Então, cada outro jogador, por sua vez, faz o mesmo. Depois que cada jogador fizer uma declaração, todos os jogadores que decidirem fazer mulligans o fazem ao mesmo tempo. Para fazer um mulligan, um jogador embaralha as cartas na mão de volta ao seu grimório, compra uma nova mão de cartas igual ao tamanho da sua mão inicial e depois coloca um número dessas cartas no fundo do grimório em qualquer ordem igual à número de vezes que o jogador tomou um mulligan. Uma vez que o jogador opte por não fazer um mulligan, as cartas remanescentes tornam-se a mão inicial do jogador, e esse jogador não pode fazer mais mulligans. Este processo é então repetido até que nenhum jogador faça um mulligan. Um jogador não pode levar um número de mulligans a aumentar o tamanho da mão inicial. Por que esta regra oficial? Uma certa carta causou diversas dúvidas e perguntas: *Serum Powder*. [image](https://img.scryfall.com/cards/large/en/ima/228.jpg?1530592670) Apesar de não ser uma carta conhecida, ela de vez em quando está em listas no topo de torneios grandes ou que fazem 5-0 no MOL. [deck](3732) [deck](1674) Como observado nas regras oficiais para o mulligan, colocar as cartas da sua mão no fundo da sua biblioteca é o último passo para completar o mulligan antes de decidir se quer manter ou fazer outro mulligan. No ponto em que quando o Pó de Soro verifica se você pode fazer mulligan, o número de cards em sua mão já terá sido reduzido em um para cada mulligan anterior que você tomou. Por exemplo: se você mulliga duas vezes e o terceiro conjunto de 7 cartas que você vê contém um serum powder; você primeiramente tem que colocar duas cartas de sua mão no fundo do seu grimório. Então (assumindo que você ainda tenha o Serum powder em sua mão), você pode escolher exilar sua mão e comprar cinco novas cartas, fazendo mulligan novamente, ou manter sua mão. Isto é consistente com a forma como o Serum Powder sempre funcionou e com o que acreditamos ser o espírito e a intenção da carta. O Serum Powder foi impresso após a adoção do mulligan de Paris, por isso sucessivos mulligans sempre reduziram o número de cartas que o Serum Powder permite que você compre. O mesmo será verdade sob o mulligan de Londres. Na prática, esperamos que os jogadores ignorem o processo de colocar os cards de suas mãos no fundo do grimório, caso pretendam fazer um novo mulligan, já que isso normalmente não importa fora da interação específica do Serum Powder. Esse será um atalho aceitável em qualquer nível de imposição de regras. *Referências* [link](https://magic.wizards.com/en/articles/archive/competitive-gaming/mythic-championship-ii-format-and-london-test-2019-02-21)(Wizards of the Coast)

Compartilhe:

Profile Main Image

Leon Diniz

Programador do site da Cards Realm. O Magic vai muito além das cartas. Somos pessoas, uma comunidade enorme.

Social: YoutubeInstagramTwitter