Profile Main Image

Vinicius Sorin

Commander 2019 Primer: Reforçando o deck de Metamorfose

Upgrades para o seu deck de metamorfose!

Commander 2019 Primer: Reforçando o deck de Metamorfose Salve, salve comandeiros! Eu sou o Vinicius Sorin e trago hoje um conteúdo muito útil pra você que, assim como eu, está animado com os novos decks de *Commander 2019 edition*. Na semana passada em meu [link](https://www.youtube.com/cozinhaofflinemtg)(canal no youtube) começamos uma série de analises sobre as listas dos pré-construídos; e agora chegou o momento mais aguardado: o de finalmente botarmos a mão na massa e correr atrás das cartinhas para dar aquele upgrade em nossos decks preferidos da coleção. Para isso, nessa semana preparei uma maratona de vídeos + artigos que você só encontra aqui na Cards Realm, onde iremos abordar a melhor maneira de reforçar cada um dos precons. Serão no total 8 videos, sendo 2 para cada deck – um com dicas de upgrades com cards mais baratos que não excedam o valor de R$10,00 para aqueles que querem começar sem gastar tanto; e sem restrições de orçamento. Enquanto nos vídeos eu explicarei a função de cada upgrade bem como as razões pelas quais aquele card foi adicionado ao deck, aqui nos artigos irei me concentrar em falar sobre o que deve sair – ou o que tirar para por no lugar de que. E vamos começar com o deck mais divertido (na minha opinião): Ameaça Sem Rosto – o Sultai temático de metamorfose comandando por [card](Kadena, Slinking Sorcerer). [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565552099.jpg) *Tirando o que não presta* É muito empolgante pensar no que colocar de novo em um deck pré-construído para deixa-lo melhor... mas tão importante quanto saber o que por é saber o que tirar. Os precons de Commander sempre vêm com uma série de cards obsoletos, ruins ou pouco sinérgicos para a proposta do deck, e com este não foi diferente. Muitas vezes também somos ludibriados por cards aparentemente ou de fato bons, mas que não agregam valor a estratégia e caímos na armadilha de mantê-los na nossa lista final. Então, antes de mais nada vamos separar o que é dispensável do que iremos realmente aproveitar. *Terrenos:* Dentre os 4 precons deste ano, a base de mana do deck Sultai é a melhor, contando com bons terrenos que consertam nossa curva de mana. Porém, mesmo assim ainda há muito o que se tirar daqui, já que mais de ¾ do nosso pacote de terrenos é composto por terrenos que entram em jogo virados. Levando em consideração as opções de baixo custo que existem atualmente para estas cores, separei 10 terrenos não básicos que podemos descartar da lista logo de cara, além de 3 terrenos básicos – totalizando 14 slots liberados para terrenos melhores. Os terrenos que saem são: [card](Aqueduto Dimir) [card](Câmara de Crescimento Simic) [card](Fazenda de Podridão Golgari) [card](Pomar Hediondo) [card](Portão da Guilda Golgari) [card](Portão da Guilda Simic) [card](Riacho da Floresta) [card](Terras em Desenvolvimento) [card](Vastidão Morfoterrena) [card](Jungle Hollow) [card](Palco Dramático) 2 [card](Floresta) 1 [card](Ilha). Pode parecer estranho a decisão de abrir mão do [card](Palco Dramático), levando em consideração que ele é um dos destaques dentre os terrenos reprintados no deck. Mas lembre-se do que eu disse anteriormente: nem sempre o que é bom é necessário. Embora ele possa ser versátil ao copiar um terreno que possa gerar a mana que você precisa, o custo para isso é um pouco alto demais para que seu slot valha mais do que o de qualquer outro terreno que possa gerar as cores do deck sem entrar virado. Então, a menos que você tenha planos de combar com [card](Dark Dephts), acho que o Palco Dramático tem pouco espaço neste deck. *Ramps:* Ameaça Sem-Rosto conta com um pacote de aceleração de mana bem interessante já de fábrica. Porém existe muita coisa essencial que foi deixada de lado (como os Sinetes). Por isso é preciso abrir mão de algo. Meu palpite são estes 4 cards: [card](Scaretiller) [card](Explore) [card](Farseek) [card](Sakura-Tribe Elder) Repare que nenhum deles é RUIM - apenas não são melhores que os cards que vão entrar para *este deck*. [card](Scaretiller) é o mais destoante dos 3, sendo uma criatura muito melhor aproveitada num deck landfall e que ofereça meios de vira-lo ou desvira-lo sem que você precise necessariamente atacar com ele, o que não é o caso aqui. *Compras:* O pacote de compras é talvez o mais deficitário deste deck, e talvez o que precise mais de reforço. Dos 6 cards identificados na lista original para cumprir essa função importantíssima, apenas [card](Secret plans) e [card](Grim Haruspex) permanecerão. Os demais sairão, e darão espaço a cards menos pesados ou mais sinérgicos com nossa estratégia: [card](Thought Sponge) [card](Tezzere'ts Gambit) [card](Urban Evolution) [card](Voice of Many) *Remoções e interações:* Aqui nós temos os efeitos de destruição, anulações, bounces e demais coisas feitas para lidar com as ameaças dos oponentes. Este é o pacote mais robusto do deck, contando com um total de 15 cards já vindo na lista original. Em sua grande maioria são criaturas com metamorfose, o que é interessante manter. Porém, muito foi deixado de lado, então precisamos achar espaço para o que for entrar. As escolhas sobre o que tirar não serão fáceis: [card](Vraska the Unseen) – PW interessante, mas sem sinergia com o deck e não é essencial. [card](Leadership Vacuum) – aparentemente um card muito bom, mas olhe mais atentamente. Muito especifico pois serve apenas para lidar com comandantes. Recomendo tirar, a menos que exista algum voltron muito opressor no seu playgroup. [card](Mire in Misery) – card bom, mas obsoleto num deck com verde que consegue lidar com encantamentos e criaturas de forma mais objetiva. [card](Sudden Substituition) – Esse vai doer no coração, pois é um card fantástico. Minha justificativa pra tira-lo é que “esse deck não é do Zedruu”, mas eu sei que essa desculpa é péssima. Na verdade eu só preciso de espaço pra outra carta muito mais sinérgica, mas eu entenderia qualquer um que preferisse mante-la aqui. [card](Hex) – remoção pesada e desajeitada. Tiraria sem qualquer pena. *Bombas:* Geralmente nos precons você encontra vários cards pesados ocupando slots desnecessariamente no deck. Alguns são de fato muito bons , mas precisamos manter o foco no objetivo do nosso deck: explorar a mecânica metamorfose da melhor maneira possível. Eis alguns outs a considerar: [card](Apex Altisaur) – Uma bomba deste tamanho sem evasão não adianta muito. Pode conseguir tirar algumas criaturas dos oponentes, mas nada que você já não consiga com o deck por muito menos mana. [card](Rayami, First of the Fallen) – Alternativamente pode servir como uma bala de prata contra deck que abusam de cemitério. Fora isso é apenas um bicho grande e bobo aqui, pois Rayami não contará com criaturas muito boas para assimilar. [card](Volrath, the Shapestealer) – Um caso parecido com a Rayami. Não há muitas criaturas aqui que poderiam oferecer habilidades interessantes para o Volrath. É melhor tira-lo e [link]( https://www.youtube.com/watch?v=FCWnkYoIDhs&t=1287s)(montar um deck dele). [card](Sagu Mauler) – Tem morph? Tem. Mas é só um bicho grande sem qualquer funcionalidade. E nem é tão grande assim também. [card](Great Oak Guardian) – Pf... sério?! O que isso ta fazendo aqui? [card](Hooded Hydra) – é até legal, mas tem coisa mais interessante pra se fazer com morph do que marcador +1/+1. O melhor efeito desse bicho acontece quando ele morre, coisa que a gente nem vai explorar tanto assim. [card](Byomass Mutation) – Não lá um card muito usado no Commander, mas eu fiquei realmente com pena de tirar isso, pois é uma condição de vitória bem realista levando e conta a realidade do deck. No entanto, sem dar evasão para as criaturas acaba não adiantando muito. *Outros:* Aqui temos aquelas cartas que estão no deck (ou não mais) por qualquer outro motivo que faça ou não sentido. [card](Thelonite Hermit) [card](Grismold, the Dreadsower) [card](Pendant of Prosperity) Todos 3 são auto autoexplicativos – não fazem o menor sentido aqui, por mais que possam parecer legais. No máximo dá pra manter o Eremita, por conta do morph. Mas mesmo assim ainda tem coisa muito melhor pra colocar no lugar, como veremos agora! *Reforçando o deck sem gastar muito* [youtube](https://m.youtube.com/watch?v=9RYhydQbSr0) Neste vídeo fresquinho mostro e explico algumas das várias opções de upgrades que você pode fazer no deck com um investimento menor. Até o momento em que o vídeo foi gravado, nenhum dos cards mencionados superava o valor de 2,5 dólares (aproximadamente R$ 10,00). Muitas inclusive custam centavos. Para que você possa entender o papel de cada card adicionado na estratégia de Kadena é importante que você assista. *Base de mana* [card](Zoetic Cavern) entrou no lugar de [card](Palco Dramático). [card](Underground River) entrou no lugar de [card](Aqueduto Dimir) [card](Alchemist's Refuge) entrou no lugar de [card](Câmara de Crescimento Simic) [card](Woodland Cemetery) entrou no lugar de [card](Fazenda de Podridão Golgari) [card](Choked Estuary) entrou no lugar de [card](Pomar Hediondo) [card](Tainted Wood) entrou no lugar de [card](Portão da Guilda Golgari) [card](Tainted Isle) entrou no lugar de [card](Portão da Guilda Simic) [card](Fetid Pools) entrou no lugar de [card](Riacho da Floresta) [card](Emergence Zone) entrou no lugar de [card](Terras em Desenvolvimento) [card](Tomb of the Spirit Dragon) entrou no lugar de [card](Vastidão Morfoterrena) Além disso,[card](Dimir Signet), [card](Golgari Signet) e [card](Simic Signet) entraram no lugar das 2 [card](Floresta) e 1 [card](Ilha) que haviam saído; e [card](Jungle Hollow) deu lugar a [card](Obscuring Aether). O precon vem com uma quantidade excessiva de terrenos (40 no total). Particularmente acho melhor usar uma quantidade menor de terrenos e compensar com mais mana rocks e cartas de aceleração. E para complementar ainda mais o pacote de ramp, usei o slot deixado por [card](Scaretiller) para por uma [card](Wilderness Reclamation). E já que os terrenos deram lugar aos aceleradores, vamos aproveitar os slots deixados pelos ramps com cartas de draw. *Compras* [card](Fathom Seer) entrou no lugar de [card](Explore). [card](Beast Whisperer) entrou no lugar de [card](Farseek). [card](Aphetto Runecaster) entrou no lugar de [card](Thought Sponge) [card](Primordial Mist) entrou no lugar de [card](Tezzere'ts Gambit) Ainda sobram 2 slots deixados por cards de compra, que vamos preencher com algumas remoções úteis. *Remoções* [card](Aphetto Exterminator) entrou no lugar de [card](Urban Evolution) [card](Beast Within) entrou no lugar de [card](Voice of Many) *Outros reforços* O restante dos upgrades foram colocados sem nenhuma realocação de slots por função, apenas preenchendo o espaço deixado por algum outro card qualquer que saiu: [card](Mischievous Quanar) entrou no lugar de [card](Pendant of Prosperity). [card](Vivien, Campeã da Natureza) entrou no lugar de [card](Vraska the Unseen). [card](Temur Sabertooth) entrou no lugar de [card](Leadership Vacuum). [card](Master of the Veil) entrou no lugar de [card](Mire in Misery). [card](Weaver of Lies) entrou no lugar de [card](Sudden Substituition). [card](Paradoxical Outcome) entrou no lugar de [card](Hex). [card](Crystal Shard) entrou no lugar de [card](Apex Altisaur). [card](Equilibrium) entrou no lugar de [card](Rayami, First of the Fallen). [card](Veldalken Mastermind) entrou no lugar de [card](Volrath, the Shapestealer). [card](Ebonblade Reaper) entrou no lugar de [card](Sagu Mauler). [card](Brine Elemental) entrou no lugar de [card](Great Oak Guardian). [card](Jeskai Infiltrator) entrou no lugar de [card](Hooded Hydra). [card](Whisperwood Elemental) entrou no lugar de [card](Byomass Mutation). [card](Temur War Shaman) entrou no lugar de [card](Thelonite Hermit). [card](Teferi, Mage of Zhalfir) entrou no lugar de [card](Grismold, the Dreadsower). [card](Swiftfoot Boots) entrou no lugar de [card](Sakura-Tribe Elder) [deck](12758) *Investimento maior* Sempre que sai uma coleção nova, o mercado de cartas se agita. É muito comum certas cartas ficarem caras por conta de uma procura maior graças a um novo comandante. Foi o que ocorreu com esse deck e cards como [card](Ixidor, Escultor da Realidade) e [card](Dream Chisel). Além disso, sempre existem cards já aclamados que agregam muito a estratégia, apesar de serem muito caros, como [card](Ugin, the Ineffable), [card](Semblance Anvil), [card](Vedalken Orrery), [card](Riptide Laboratory), [card](Volrath's Stronghold) e os diversos terrenos otimizados. [youtube](https://www.youtube.com/watch?v=qBfFNth00bc) A lista a seguir conta com os melhores reforços possíveis para um deck de Kadena, considerando já um orçamento maior disponível. Embora muito do núcleo do deck precon tenha sido mantido, a maior parte foi completamente alterada. Muitos dos reforços continuam sendo os mesmos da lista anterior, porém com a adição dos cards otimizados. [deck](12759)

Compartilhe:

Profile Main Image

Vinicius Sorin

Professor de artes marciais e produtor de conteúdo sobre Magic. Jogador apaixonado pelo formato Commander, apresentador do canal do youtube Cozinha Offline.

Social: YoutubeInstagramTwitter

Profile Main Image

Silas Oliveira

O caminho para o Abismo Sombrio no LEGACY UAI, por Tulio Reis


*Report Legacy UAI 2019: Túlio Reis – Slow Depths – 6º Lugar.* Quem pensou que o conteúdo sobre o LEGACY UAI tinha acabado, se enganou! Ainda sobre o torneio, Tulio Reis, de BH, nos contou como foi sua participação no torneio, bem como a escolha do deck, e as adaptações da lista. Abaixo segue o relato do nosso amigo: "Olá pessoas do meu coração amado. No último dia 06/07, aconteceu em Pouso Alegre/MG, cidade do sul de Minas Gerais, o Legacy UAI 2019. Torneio muito bem organizado pelo nosso amigo Bruno Volpato. Eu, na minha essência, sou jogador de Modern e gosto de jogar as etapas da Liga Mineira de Legacy, pois, como bom grinder que sou, não dispenso um torneio competitivo e com premiação boa. Apesar de não possuir um deck Legacy, sou adepto do bom e velho ditado – “Quem tem amigos, tem cartas”. E, por sorte, tenho amigos, em especial o grande Henrique Belumat, campeão do Nacional Legacy 2017. Na semana que antecedia o evento, procurei o Belu para me emprestar um deck que tenho obtido um bom ratio de vitórias nas etapas da LML, o famigerado, Slow Depths. Pra quem não está familiarizado com o deck, aqui vai uma breve explicação. O Slow Depths, é um baralho de combo, baseado no terreno de neve lendário [card](Dark Depths), onde através de [card](Thespian's Stage) ou [card](Vampire Hexmage), “trapaceamos” no que diz respeito ao que a carta foi feita pra fazer justamente, seja copiando um Dark Depths em jogo ou removendo os marcadores, todos de uma só vez. Assim que Dark Depths se encontra em jogo sem nenhum marcador um ficha de criatura preta, chamada Marit Lage, é criada. A criança tem 20/20 de poder e resistência é indestruitível e tem voar. Ou seja, um abraço pro oponente. [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565544737.jpg) Agora, diferentemente do TURBO Depths, esse deck não possui tantas maneiras de fazer o combo a qualquer custo. Esse deck é muito mais Midrange, grindador e resiliente do que a versão all-in, que é super centrada no combo supracitado e que não consegue ganhar de outra maneira senão fazendo o Token o mais rápido possível. A lista que joguei no torneio foi essa: [deck](12764) Bom, quando eu pensava na lista para pedir o deck eu levei em consideração alguns fatores: Esse deck tem dificultade de lidar com Wrenn and Six e Delver decks em geral. Primeiro por serem super agressivos, possuírem 4 cópias de Wasteland e combinação de Force of Will + Daze complica muito a vida desse deck. Death and Taxes é um pesadelo. Então cheguei a belíssima conclusão de que Bitterblossom e Liliana, The Last Hope seriam adições ao Main Deck que pegariam muitos desses decks com as calças arriadas. Delvers tem uma dificuldade enorme de ganhar de Bitterblossom turno 2 e esse deck consegue fazer ela no UM, cara! Como se não bastasse, Liliana é brutal contra D&T e ajuda bastante contra Delver. Foi um “meta call” que pagou dividendos. Partidas: *Rodada 1 – Miracles* Jogos muito truncados como sempre, porém tanto no G1 como no G2 meu oponente não conseguiu encaixar cantrips de maneira efetiva a fim de esculpir uma mão resiliente aos descartes do deck e acabou perdendo para o combo. 2-0. Record: 1-0 *Rodada 2 – UR Delver* G1: Eu combo muito rápido sem deixar o oponente fazer a Wasteland. Normalmente UR Delver não possui resposta no main deck para o Token. G2: Meu oponente tenta dar Wasteland no meu Thespian Stage. Eu copio a sua Ilha em resposta que faz a Wasteland pifar. Volto combando e tomo um Vapor Snag. #sad. 1-1. G3: Descartes e um combo rápido deram conta do recado. Record: 2-0 *Rodada 3 – UR Delver (Phelippe do RJ, fez Top8)* G1: Turno 1, na play. Faço land, Mox Diamond, Bitterblossom que resolve. O jogo se desenvolve de maneira que ele encontra um Young Pyromancer, faz algumas fichas. Eu acho remoção pro Dreadhorde Arcanist e encaixo a Liliana, the Last Hope para selar o jogo. METACALL! G2: Ele muliga, eu dou descarte, tiro a sua Force of Will. Volto combando. Ele cantripa atrás de Vapor Snag e morre para o Token. Record: 3-0. *Rodada 4 – RUG Delver (Diego Ganev, Campeão)* Esse jogo foi bizarro e foi transmitido na [link](www.twitch.tv/legacydosmoicanos)(Twitch do Legacy dos Moicanos). G1: Muligamos a 5, eu mantenho mão de 1 land, ele flipa dois Delvers rapidamente, eu nunca mais compro land e perco em 2min. G2: Eu perco bastante vida nos turnos iniciais, estabilizo o board, dou Assassin’s Trophy na Volcanic, Wasteland na Tropical. Deixo ele sem cartas na mão e sem land nenhuma na mesa. Não paro de comprar lands inúteis e remoções. Até que finalmente sou punido por uma jogada besta e morro para 2 Lightning Bolts depois de milhares de turnos em que meu oponente nada fez. Record: 3-1. *Rodada 5 – UR Delver (Bruno Lorenzato, amigão de Ouro Preto e Top8)* G1: Ele perde pelo simples fato de estar na draw. Toma descartes nas criaturas, fica com várias dazes e fow’s na mão e toma o combo. Ele ainda tenta achar a resposta mas sem sucesso (ele rodou 2 Vapor Snag no Main Deck). G2: Ele está praticamente morto, com 6 de vida e eu com Bob e Vampire Hexmage na mesa, tenho 3 de vida. 2 Cartas de custo 3 no deck (que eu nem lembrava que existam haha), Trigger do Bob resolve revelando Tireless Tracker. GG G3: Fui absolutamente moído por 2 Swiftspear, Chain Lightnings e Bolts. Record: 3-2 *Rodada 6 – Burn (Thiago Pimenel, amigão de Ouro Preto)* Esse match é muito fácil para o Turbo Depths. A versão Slow Depths pode ter um pouco mais de dificuldade justamente por não conseguir fazer o combo tão rapidamente como a versão Turbo. G1: Estou na play. Faço Urborg, Tumba de Yawgmoth, descarto um Raio. Turno 2, desço minha Depths, faço Vampire Hexmage e venço. Que sorte! G2: Na draw, faço Urborg, Tumba de Yawgmoth, dou Duress. Descarto Ensnaring Bridge. Turno 2, desço minha Depths, faço Vampire Hexmage e venço. É muita sorte pra um cara só... Brincadeira. Record: 4-2. *Rodada 7 – Rakdos Goblins (Guilherme Figueira)* Esse jogo foi transmitido na [link](www.twitch.tv/legacydosmoicanos)(Twitch do Legacy dos Moicanos). G1: Eu muligo a 6. Meu oponente começa fazendo Montanha, Aether Vial. Eu faço, Bayou, Mox Diamond, Abrupt Decay no Vial. Turno 2 meu oponente faz Pantano, Mogg War Marshal. Eu procedo, fazendo Thoughtseize que revela 2 Goblins irrelevantes e 2 Prismatic Vista. Eu faço Dark Depths e passo. Ele paga o Echo do War Marshal, faz Vista e ataca. Meu turno 3, eu faço Thespian’s Stage, copio a Dark Depths e passo com a Token 20/20. Agora ele não tem mais respostas e morre no ataque. G2: Ele faz Mana Goblin Lackey. Eu muliguei a 6, rezo pra comprar resposta pro Lackey. Compro uma Mox Diamond que me permite descer um Dark Confidant pra trocar com o Lackey. Eu faço Wasteland, Mox, Bob. Meu oponente, faz Pantano, Munitions Expert e mata o Bob. Bate com Lackey e não põe nada na mesa. Turno 2, eu faço, Crop Rotation sacrificando a Wasteland para tutorar uma Urborg, Tumba de Yawgmoth, faço Dark Depths como land do Turno e combo de Vampire Hexmage. Acho que meu oponente não esperava essa jogada. Salvo engano, ele tinha uma Wasteland na mão e preferiu por matar o bob. Se eu não vi errado no vídeo, foi uma infelicidade cruel. 20/20 na mesa unica saída seria encaixar uma espécie de Édito Diabólico vindo do Sideboard, afinal era Preto e Vermelho ou a saída tradicional para uma situação como essas fazendo o Stingscourger. Não foi dessa vez. GG Oponente. Record: 5-2. 6° lugar. Bom, foi um torneio bacana de se participar. O resultado rendeu R$300,00 em dinheiro e muito contente de ter lido o field da maneira que li. As mudanças fizeram bastante diferença e me deram vitórias que talvez não tivesse conseguido com uma lista mais padronizada. Manhã de muito frio em Pouso Alegre/MG, termômetros marcando 3 Graus Celsius! Pegamos o carro e voltamos para BH. Gostaria de agradecer aqueles que leram até aqui. Sempre um prazer escrever reports de torneios bem estruturados que nos motivam a jogar esse jogo maravilhoso que é o tal do Magic: The Gathering! Forte abraço! Tulião." [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565543020.jpg) Primeiramente, parabéns pelo resultado Tulio, jogou demais. Em segundo, obrigado por compartilhar sua experiência. E por fim, gostaria de chamar atenção ao fato de o Tulio ser jogador nato de outro formato, e mesmo assim ter se saído tão também em um torneio Legacy, em especial, num campeonato cheio de jogadores experientes e de alto nível. Porém, isso já não é novidade, uma vez que ele vem fazendo ótimos resultados na Liga Mineira de Legacy. O que eu de fato gostaria de mencionar é que mesmo sendo adepto de um formato em especial, como o Modern por exemplo, é possível conciliar os dois, e se sair bem em um e outro. Inclusive, transitar entre ambos de maneira harmônica, pois diversas vezes ouvi que quem joga Modern não joga Legacy, e vice-versa. Além disso, ressalto o fato que mesmo sem ter um deck, não foi por falta de vontade que ele deixou de participar do torneio. Diante disso, mais uma vez eu repito que se você tem vontade de jogar Legacy, isso não será um entrave. Nós da comunidade Legacy, estamos sempre abertos e dispostos a receber e ajudar novos jogadores. Até a próxima.

Compartilhe:

Profile Main Image

Silas Oliveira

Idealizador do Legacy UAI

Social: Facebook

Profile Main Image

Diogo Leal

Entrevistamos Thoralf Severin, vencedor do Campeonato Mítico IV


Entrevistamos Thoralf Severin, vencedor do último Campeonato Mítico! [link](https://cardsrealm.com/artigos/thoralf-severin-de-tron-ganha-campeonato-mitico-iv)(Venceu o Campeonato Mítico IV dia 28 de julho) com seu deck Tron tradicional. Segue a lista abaixo e logo depois as respostas dele para nossas perguntas, traduzidas por terem sido em inglês. [deck](11987) *Quando você começou em Magic: The Gathering e como foi entrar na cena competitiva?* Comecei a jogar Magic em torno de Nemesis com amigos da minha escola. Eles largaram rapidamente, mas eu me esforcei para jogar mais e mais. Lembro-me de jogar um GP construído Odyssey na Alemanha. A Alemanha no total foi muito competitiva em Magic, mas Berlin não, por isso não joguei muitos torneios por um longo tempo. *Hoje você é um jogador que vive exclusivamente de Magic?* Definitivamente não. Viver dos torneios de Magic é extremamente difícil e só pode ser feito com muita criação de conteúdo - algo que eu não consegui fazer. *Qual é o seu formato favorito e por quê?* Limitado, especificamente Caos Draft. Eu não sou um fã de jogar o mesmo deck por muitas horas, então eu gosto da diversidade do limitado. *Como foi sua jornada para o MC IV?* Eu estava um pouco fora do circuito do Magic competitivo, mas quando Arne Huschenbeth se mudou para Berlim, ele, Jasper Grimmer e eu formamos um time que viajou para todos os GPs da Europa. Especialmente no GP da equipe, fomos extremamente bem-sucedidos, o que me levou a acertar exatamente o ouro até o Barcelona. *Desde a impressão de [card](Karn, o grande criador), a maioria dos jogadores de Tron tem adaptado suas listas para incluir a carta. Você optou, no entanto, por uma lista mais próxima do arquétipo tradicional. Qual o motivo dessa escolha?* Comecei com o pequeno Karn e fiquei muito desapontado. Karn raramente ganhava na hora e era muito difícil manter-se vivo. Não há criaturas para defender e nenhum artefato para obter, que ajudam no momento que ele entra. Bridge geralmente era ruim, por causa de cartas demais na mão. Quando [card](Hogaak, Arisen Necropolis) se tornou tão popular, nós realmente queríamos a [card](Leyline of the void) em nosso sideboard e isso também não era possível com todos esses artefatos para Karn. O ponto era que queríamos ter mais espaço para todos os 4 [card](Wurmcoil Engine) e 3 [card](Walking Ballista). Joguei 2 ligas com a lista do MC4 e fui 10-0. Foi ótimo. [image](https://cardsrealm.com/images/uploads/1565462372.jpg) *Outra opção interessante da sua lista é a inclusão da quinta floresta no lugar do [card](Ghost Quarter). Você manteria essa escolha para o futuro?* Quase não houve confrontos onde o Ghost Quarter era mais necessário. Além disso, havia muitos combates em que queríamos muitos terrenos básicos, especificamente contra [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/UW%20Control)(Controle UW) e o [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Eldrazi%20Tron)(Eldrazi tron) ​​(com o Crucible). Você precisa de algumas fontes verdes e a adição da carta [card](Zona de Explosão) (que é mandatória!) significa um espaço a menos. No final, senti que eu não iria jogar tanto contra decks que o Ghost Quarter brilha como o Tron e ou decks com [card](Inkmoth Nexus), já que eles pareciam ser menos jogados. Apesar disso, minha equipe ainda jogava com Ghost Quarter. *Então você preferiu remover da lista para dar preferência para melhores match ups, mas resolveu desistir de partidas com Inkmoth do outro lado. Isso é algo que vem sendo discutido bastante e já tivemos [link](https://www.channelfireball.com/articles/a-deck-with-extreme-matchups-is-statistically-better-than-one-with-even-matchups/)(artigos da Channel Fireball falando que é melhor termos um deck preparado para ganhar de alguns matchs e perder de outros, do que ter um que sempre fica no 50%). O que você acha dessa afirmação? Nesse campeonato mítico você chegou a ver inkmonth do outro lado?* Concordo com esta afirmação, montei o deck com o fato de que eu realmente não esperava que houvesse muitos decks com Inkmoth. você está correto, eu fui mais fraco contra esses para obter alguma vantagem em outro lugar. Eu joguei contra [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Hardened%20Scales)(Hardened Scales) no suíço e depois nas finais (contra a mesma pessoa). No final eu não joguei contra UW ou Eldrazi tron, então minha 5ª floresta não era obviamente melhor. Eu acho que no final, se você realmente não tem idéia do que as pessoas jogam, jogar com o Ghost Quarter provavelmente é uma boa ideia, especialmente se as pessoas não estão mudando facilmente para um deck diferente. *Normalmente Tron tem um núcleo de cartas que não podem ser mudadas. Efeitos de tutores (como mapa de expedição) ou cantrips por exemplo. Você, no entanto, ousou remover 1 [card](Esfera Cromática) da lista, fazendo alguns jogadores de Tron enlouquecerem. É possível fazer isso sem medo de ficar sem mana verde?* Eu estava dizendo isso para minha equipe desde Londres. A nova regra de mulligan permite que você faça isso. Eu joguei muitos jogos com o Tron ​​e a forma como você está ativamente mulligando para completar o Tron ​​permite que você não precise dessas porcentagens minúsculas a mais de verde com uma Esfera Cromática. Antes disso, você precisava manter a maioria das mãos, porque você simplesmente não poderia mulligar para uma mão melhor. Portanto, precisava de muita compra de carta para fazer essas mãos funcionarem. Agora, basicamente mulligando todas as mãos que não fazem Tron de forma rápida, você precisa de no máximo exatamente 1 desses cicladores. Eles não são ruins no Late Game por que te fazem comprar mais uma carta, mas eu queria mais um Payoff grande. Essa mudança também se encaixa bem com a 5ª floresta. *Como você geralmente avalia a posição do Tron no atual meta do Modern?* Definitivamente um bom deck, especialmente quando as pessoas não estão preparadas. Se ninguém joga [card](Damping Sphere) ou menos [card](Fulminator Mage), menos [card](Surgical Extraction), menos [card](Stony Silence), etc. a estabilidade do deck te leva a ganhar os jogos. Além disso, os seus confrontos contra [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Izzet%20Phoenix)(UR Phoenix), [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Jund%20Assault%20Loam)(Jund), Eldrazi Tron e Urza são muito bons. Agora mesmo, estamos à frente contra o [link](https://cardsrealm.com/metagame/modern/Four%20Colors%20Hogaak%20Vine)(Hogaak), mas acho que não estamos com muito mais de 50%. *Você defende o banimento de Hogaak? Se isso acontecer, o que deve mudar no Metagame?* Eu acho que pode ser derrotado, mas os custos da diversidade são muito altos. Eu, pessoalmente, preferiria excluir algumas cartas, de modo que mais baralhos (e estratégias inteiras) possam ser jogados, do que ter o metagame de jogar um deck ou um deck que vença aquele baralho. Infelizmente isso faria tron ​​um pouco pior na minha opinião, já que muito de seus piores combates (como burn, scapeshift ou storm) estão sendo forçados a sair e eles certamente retornariam. Também as pessoas teriam mais slots de sideboard. Modern tem um enorme potencial para ser um formato incrível, com muitos decks e interações diferentes. *Muito obrigado Thoralf Severin pela entrevista! Foi muito esclarecedor!*

Compartilhe: